Em busca do Balão perdido

Poeticamente podemos dizer que o adulto, é apenas uma criança censurada que vive repetindo erros infantis, erros estes que com o tempo o amadureceu, erros estes que com o tempo o constitui como adulto!

Em busca do Balão perdido

Na década de 1980, Já não havia Vila Sésamo e nem Tv Globinho, naquele outono a Cidade de Ribeirão Preto foi contagiada pela turma do Balão Mágico, uma trupe de crianças que invadiram a Tv com musicas carismáticas alem de Fofão, Jairzinho, Cascatinha, Tob e Mike. Eu como todos os garotos da época éramos apaixonados pela Simony…

Foi a primeira vez que Pardal, Andorinha, Cordona e Colibri, vislumbraram um balão no céu, aquele céu azul cristalino preenchido de nuvens alvas as quais imaginávamos desenhos, neve e papai noel!

O evento foi restrito a um seleto grupo de pessoas e realizado no estádio Santa Cruz do glorioso Botafogo de Ribeirão Preto.

A ralé composta por crianças que brincavam de mamã da rua, policia e ladrão e carrinho de rolimã, alem da classe trabalhadora, não teve acesso, ficando amontoados no estacionamento cantando em coro “ pega carona nessa calda de cometa….”

Quando terminou o grande evento de outono ao avistar aquele balão azul flutuar céu adentro, começou uma maratona e toda a molecada incluindo eu Pardal, Andorinha e Cordona,seguimos aquele balão até onde nossas pernas agüentavam…a vezes é frustrante ver seus sonhos se perder em um balão…

Poeticamente podemos dizer que o adulto, é apenas uma criança censurada que vive repetindo erros infantis”

Leia mais...