Nasci e cresci em São Miguel Paulista. Com isso, sempre me intrigou por sempre me deparar com um nome que batiza Escolas, Fundação, Centro Desportivo e Cultural, bem como, o Hospital Municipal do bairro. Mas, afinal, quem seria esse tal de “Tide Setubal”?

Fui pesquisar… e descobri que Tide Setúbal não era um cara. Porém, sim uma das mais interessantes mulheres da atividade social voluntária da sociedade paulistana do século XX. Trata-se de Mathilde de Azevedo Setúbal, a “Tide”.

O primeiro pensamento foi… poxa, porque ninguém conhece a história da Tide em São Miguel? Atualmente, na “high society”, o sobrenome Setúbal é associado ao Banco Itaú, propriedade da família.

Quem foi Mathilde de Azevedo Setúbal

Mas em São Miguel seu nome é sinônimo de escola e hospital, “eu estudo no Tide”, “Ta mal? ‘Vamo’ pro Tide!” Tive tios, tias, primos que trabalhavam no Hospital que leva o nome dela, mas nenhum deles soube me dizer quem ela foi… inclusive, como eu, compartilhavam a ideia de que Tide era um homem, não uma mulher.

Mas Tide foi uma grande mulher, nascida no ano de 1925 em São Paulo, era neta do senador Lacerda Franco e esposa do prefeito Olavo Setúbal, ocasião na qual criou o Corpo Municipal de Voluntários (CMV).

E foi justamente nestes dois anos em que esteve à frente do CMV que Tide se engajou em trabalhos sociais principalmente em São Miguel, bairro mais beneficiado pelo seu trabalho.

Tide arregaçou as mangas e uniu poder público e privado numa iniciativa pioneira no trabalho social voluntariado, não só trazendo assistencialismo à região, mas capacitando as pessoas e eliminando o sentimento de inferioridade em relação aos moradores de regiões mais centrais – uma visão um tanto avançada para a época, partindo de uma mulher notadamente à frente de seu tempo, e que tinha como prioridade o ser humano.

Não se sabe o que levou Tide a desenvolver tamanha simpatia pelo Bairro, mas podemos afirmar que esta relação é recíproca. Isso pode ser visto ao visitar as instalações da Fundação Tide Setubal.

Hoje o bairro ainda conta com a presença constante de uma representante dessa família tão especial – refiro-me à Maria Alice Setubal, ou simplesmente Neca, que é socióloga, doutora em psicologia da educação e mestre em ciência política, mas principalmente, é filha da Tide e dá continuidade ao seu tão significativo trabalho. O bairro agradece!