Capela de São Miguel Arcanjo e a História da cidade de São Paulo

Era uma vez uma aldeia, às margens do rio Tietê, em que se ergueu uma capela. Vista de suas janelas, nasceu uma vila, que em suas portas receberam, romeiros, retirantes, desbravadores, trabalhadores, artistas, comerciantes, empreendedores, empresários, pessoas, pessoas e mais pessoas.

Assim, surgiu, São Miguel Paulista, um bairro imenso localizado na zona leste de São Paulo. Um lugar cheio de histórias como os mais ilustres vilarejos do Brasil.

São Miguel Paulista está distante do centro de São Paulo, separados apenas no mapa, mas unidos pela mesma fé e história envolta de um mesmo personagem, o Padre José de Anchieta, assim começa a historia de São Paulo, Assim começa a Historia de São Miguel Paulista.

A Capela de São Miguel Arcanjo

Considerada o templo religioso mais antigo da cidade de São Paulo inaugurada no dia 21 de setembro do ano de 1622, mas com inicio de sua construção datada do ano de 1580, quando o Padre José de Anchieta, devoto do anjo Miguel e índios guaianases começaram a construir a Capela de São Miguel, um marco na formação do bairro de São Miguel Paulista, que herdou da capela o seu nome.

Hoje um patrimônio histórico da zona leste e de São Paulo, em suas paredes estão registradas a alma de um povo, sua fé e formação cultural, uma ligação real entre o passado e presente, uma forma viva de sabermos de onde viemos e para onde levaremos essa historia que nasceu do barro e mãos indígenas.

Capela de São Miguel Arcanjo

Construída com técnicas rudimentares, mas bastante avançada para sua época (A taipa é uma técnica herdada das culturas árabes e berbéres, constitui-se de paredes feitas de barro amassado e calcado, por vezes misturado com cal para controlar a acidez da mistura que vem a ser comprimida entre taipais de madeira desmontáveis, removidas logo após estar completamente seca, formando assim uma parede de um material incombustível e isotérmico natural e particularmente barato)

A capela ficou conhecida como a Igreja dos Índios, que tiveram papel fundamental em sua construção, oferecendo mão de obra com supervisão e orientação do carpinteiro e bandeirante Fernão Munhoz.

Capela de São Miguel e sua importância arqueologia

Considerada o sitio arqueológico mais importante da cidade de São Paulo, no ano de 1938, a Capela de São Miguel Arcanjo, foi tombada patrimônio histórico Brasileiro pelo Iphan (Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional).

Em 1691, aconteceram os primeiros reparos de restauração da capela, realizada pela Ordem dos Franciscanos, após isso, aconteceram dois grandes processo de restauração, um entre os anos de 1939 e 1949 e o ultimo entre os anos de 2006 e 2007.

Foto antiga da Capela de São Miguel Arcanjo – fonte: IPHAN

A grande restauração da Capela de São Miguel Arcanjo

Os anos de 2006 e 2007 foram marcantes para a capela, que estava em um estado avançado de deterioração, por se tratar de uma construção com quase quatro séculos de existência.

A restauração foi concretizada com recursos obtidos via Lei de Incentivo à Cultura (Lei Rouanet), que possibilitou um aporte financeiro de R$ 3,1 milhões.

Restauração da Capela de São Miguel – fonte: http://www.catedralsaomiguel.org.br

Com esses recursos foram possíveis realizar uma restauração profunda em toda a estrutura com substituição de toda a parte de alvenaria, o telhado e o madeiramento, e a reestruturação da parte hidráulica e elétrica, trazendo modernidade e segurança para esse tesouro nacional.

Alem da parte estrutural, a restauração fez um trabalho cuidadoso nos adornos, que incluem o altar, a pia batismal e as portas, fazendo da Capela de São Miguel Arcanjo, um registro fiel do Brasil Colônia.

Fizeram parte da equipe de restauradores, arqueólogos que tiveram como missão realizar escavações nos espaços internos e externos da capela em busca de objetos antigos que fornecessem mais informações sobre os modos e costumes dos moradores de São Miguel Paulista do século XVII.

Curiosidades sobre a Capela de São Miguel Arcanjo
  • A capela foi construída com objetivo de catequizar os índios da região
  • A primeira capela, construída por volta de 1580, foi substituída pela atual em 1622
  • Situada em um ponto estratégico, facilitava a obra dos missionários jesuítas
  • Na época de sua construção, o bairro de São Miguel Paulista, chamava Aldeia de Ururaí.
  • Ururaí (nome indígena que significa “terra dos lagartos”)
  • Antes de ter seu nome oficial de São Miguel Paulista no ano de 1944, o Bairro se chamou São Miguel de Ururaí e Baquirivú, esse ultimo rejeito pela população, que após protesto, recebeu seu nome atual.
  • Uma de suas principais características, é o alpendre construído na frente da capela, um elemento muito característico da arquitetura jesuíta do Brasil Colônia
  • A capela, foi uma das primeiras construções do Brasil colônia, feitas em regiões longes da orla marinha.
  • Entre os anos de 1693 á 1803, a capela serviu como convento-hospício
  • A capela pertence à Diocese de São Miguel Paulista
  • Até o ano de 1965, a capela também ostentava o titulo de igreja matriz de São Miguel Paulita
  • Coim capacidade em torno de 200 lugares, eram realizadas diversas missas dominicais para atender todos os fieis.
  • Em 1965 era inaugurada a Catedral de São Miguel Paulista
Serviços

Capela de São Miguel Arcanjo

Endereço: Praça Pe. Aleixo Monteiro Mafra, 10 (conhecida como Praça do Forró)

Visitação:

Quintas e sextas das 10h. às 12h. e das 13h. às 16h. (fechada das 12h. às 13h. para almoço). Somente visitas agendadas pelo telefone 2032 – 3921 (sujeito a disponibilidade de agenda.)
Sábados das 10h às 12h. e das 13h. às 16h. (fechada das 12h. às 13h. para almoço). Somente público espontâneo.
Informações: 011-2032 – 3921 ou www.capeladesaomiguelarcanjo.blogspot.com.br

Fontes Bibliografica:

  • Um olhar sobre São Miguel Paulista – Manifestações culturais, ontem e hoje (2008)
  • Face Leste – Revisitando a Cidade (2011)
  • Boletim Institucional. Nosso grupo é você. Nitro Química 70 anos: Uma trajetória de
  • sucesso marcada pela competência no passado, presente e futuro. Companhia Nitro
  • Química Brasileira – Grupo Votorantim. 2005.
  • BOSI, Ecléa. Memória e sociedade: Lembrança de velhos. 7ª ed. Companhia das Letras. 1999.
Por: Davi Sant Anna 134 Artigos Contato
Formado em psicologia, e pós-graduando pela COGEAE - PUC-SP. Trabalhou por 18 anos no SENAC São Paulo, nas áreas de administração, e na coordenação de pós-graduação em gestão, turismo e gastronomia.Escreve sobre comportamento, educação e estilo de vida.