Engana-se quem pensa que para se trabalhar como motoboy ou motofretista, é necessário apenas possuir uma moto e habilitação para pilotar. Isso não é bem verdade. Existem leis para regulamentar a profissão e que exigem mais do que apenas alguns documentos.

Cursos para motofretistas e motoboy faz parte da regulamentação da profissão

Os motoboys, em 2009, tiveram a profissão regulamentada com a publicação da Lei Federal 12.009. Essa lei obriga a realização de curso de 30 horas, regulado pela resolução 350 do Conselho Nacional de Trânsito (Contran), bem como o uso de equipamentos de proteção tanto para o motoboy, quanto para sua moto.

Mas afinal, o que é preciso para ser motoboy?

Com a vida corrida que as pessoas em todo o mundo levam hoje em dia, serviços feitos e entregues com rapidez e agilidade são bastante apreciados. E com a competitividade cada vez mais acirrada, somente quem oferece um bom serviço de qualidade consegue sobreviver no mercado de trabalho.

Pensando em proporcionar aos clientes uma boa experiência em termos de entregas express, sendo uma empresa ou trabalhador autônomo, a cada dia mais estão sendo difundidos os cursos profissionalizantes e de especialização no segmento de motofrete.

Curso de motofrete é requisito para motociclistas que fazem transporte de carga

Para uma atuação dentro da legislação regulamentada para o motoboy, além das regras básicas como ser maior de 21 anos, possuir CNH na categoria A há pelo menos 2 anos, existe também a exigência do curso.

Esse curso obrigatório tem uma carga horária leve, de 30 horas/aula, com 25 horas sendo utilizadas na parte teórica e 5 horas sendo utilizadas para a prática feita em uma pista exclusiva e específica para o treinamento.

Na parte teórica, são repassados os requisitos básicos para uma boa prática da profissão, tais como condutas no trânsito, legislação, tráfego com a máxima segurança, aprofundamento nas normas para instalação de dispositivos de transporte na moto, dentre outras normas recomendadas pelo CONTRAN.

O que muda com a nova resolução do CONTRAN

Outras mudanças são:

  • Faixas que reflitam à luz aplicadas nas motos e roupas dos motociclistas
  • Protetor de motor (mata-cachorro)
  • Instalação do aparador de linha, “o corta-pipa”
  • A moto utilizada, precisa estar de acordo com as normas e ser cadastrada no DETRAN como veiculo de aluguel e emplacamento na cor vermelha
  • Vistoria da moto
  • Os veículos utilizados como mototáxi, serão equipadas com alças metálicas traseira e laterais para o apoio do passageiro.

Vale lembrar que os motociclistas que foram atuados sem o curso de motoboy e a moto sem os equipamentos obrigatórios, estarão sujeitos à multa e apreensão da moto

Onde fazer o curso de formação de Motoboy – Motofrete

Nos sites dos Sindicatos dos Motoqueiros de cada Estado, os motoboys podem conferir a documentação necessária que se deve levar nas instituições que oferecem o curso que é ministrado de forma gratuita e em dias úteis.

Outra opção, são os cursos oferecidos pelas Unidades do Sest Senat em todo o Brasil oferecem a capacitação, que dura 30 horas.

O Serviço Social do Transporte (SEST) e o Serviço Nacional de Aprendizagem do Transporte (SENAT), são entidades civis, sem fins lucrativos e conta com unidades em todos os estados brasileiros. Para saber mais sobre os cursos oferecidos, bem como a unidade mais próxima, acesse: sestsenat.org.br

Cursos Online

Para quem não tem condições de fazer um curso presencial, existe a possibilidade de ter contato com grande parte do conteúdo por meio da internet. Em alguns casos, os cursos são semipresenciais, sendo necessário o comparecimento na instituição ao menos uma vez na semana.

Após a matrícula e a efetivação oficial como aluno, será fornecido um login e senha para que o motofretista tenha acesso ao conteúdo de capacitação. É necessário ter disciplina para absorver as informações do material disponibilizado.

Para validar seu aprendizado, o aluno deve fazer uma prova presencial na instituição, aguardando o resultado que dirá se ele está apto ou não para exercer a profissão.

Cursos oferecidos pelo Sest Senat, crédito: Sest/Senat

A importância da qualificação profissional para o mercado de motofretistas

Além disso, também é importante que se faça o curso de excelência no atendimento, uma vez que é de ordem significativa que, assim como todos os outros profissionais, o motoboy atenda o cliente de forma satisfatória, pois conseguirá fidelizá-lo e conquistar mais credibilidade no mercado.

Cada entrega, cada serviço efetuado tem que ser visto como uma nova oportunidade para firmar a clientela que já se possui, além de conquistar novas clientelas. Para se conseguir esse feito, o curso de capacitação foca no conteúdo que irá conduzir o motoboy à uma execução excelente dos serviços prestados.

Na disciplina, o aluno aprende técnicas de boa conduta, relacionamento com o cliente, boas maneiras no quesito tratamento, postura profissional, entre outros quesitos.

Muitos motofretistas podem não entender a importância desses cursos e nem o motivo da obrigatoriedade, no entanto, por mais que pareça difícil completar 30 horas de estudo mesmo após um dia exaustivo de trabalho nos trânsitos caóticos com os quais nos deparamos nas cidades brasileiras, tenha em mente que esse pode ser um dos melhores investimentos para a carreira de entregador em moto.

Invista sim, tempo e dinheiro, para conseguir atender mais e melhor os clientes que, satisfeitos, recomendarão os serviços para outras pessoas.