Feiras Livres | Um patrimônio de sabor, descobertas e pessoas

Feiras Livres | Um patrimônio de sabor, descobertas e pessoas

Quando pensa em feira livre, logo vem a mente o sabor irresistível de um pastel de feira acompanhado de um refrescante caldo de cana (garapa), para muitos é um programa de lazer quase obrigatórios nos finais de semana, tanto que em São Paulo acontece um tradicional concurso para saber qual é o melhor pastel de São Paulo.

As feiras livres resistem e buscam manter a sua tradição competindo com grandes hipermercados, mas ao contrario de um supermercado, as feiras livres remetem as pessoas as suas origens antropológicas e inicio da civilização.

Tanto que nas feiras livres, alem das compras, há uma vivencia social e interação das pessoas, um momento em que a pressa, da lugar a contemplação, um momento em que os congestionamentos e buzinas, dão lugar a multidão e criativos gritos dos feiras buscando chamar a atenção da freguesia.

A história da Feira Livre

Quando se fala em uma ligação do homem com suas origens antropológicas, devemos pensar que os primeiros relatos sobre feiras livres, remetem ao oriente médio 500 anos antes de Cristo, era um momento em que artesões, artistas, mercadores, agricultores tinham a oportunidade de reunir em um mesmo espaço toda a população de um vilarejo, percebemos, alem de ser um ponto de encontro para compras, nas feiras aconteciam tambem as principais manifestações artísticas acessíveis ao grande publico, até então excluídos dos teatros da época.

Tanto que a literatura de Cordel, muito forte em nosso nordeste e inserido em nossa cultural pelos portugueses, tem sua origem em feiras, dizem que o nome cordel está ligado à forma de comercialização desses folhetos em Portugal, onde eram pendurados em cordões, chamados de cordéis.

Resistindo ao tempo e contratempos de uma grande metrópole como São Paulo, as feiras livres continua sendo um lugar único, mágico e nosso principal elo de ligação entre passado e futuro, como diz as palavras do fotografo Roberto Agapio

A feira é um lugar cheio de sons, movimentado e colorido. Talvez por isto chame a atenção numa primeira análise. O colorido das frutas e legumes nas barracas iluminadas pela luz do sol filtrada através dos toldos proporciona um visual muito bonito. Em alguns lugares o sol passa direto pelas frestas e espaços entre as barracas criando uma luz incrível

Feiras Livres na cidade de São Paulo

As feiras livres se confundem com a própria historia da cidade, seus primeiros registros relatam em meados do século XVII.
Em São Paulo são realizadas 888 feiras livres dimensionando a sua importância para a cidade.

São verdadeiras geradoras de empregos, escoamento da produção de hortifrutigranjeiros, comércio de pescados, alem de uma rica mistura de etnias, culturas e tradições de distintas regiões brasileiras e do mundo, o pastel de feira é um verdadeiro patrimônio da cultura paulistana e símbolo no nosso dialeto de inverter os plurais, quem nuca ouviu a frase “ um chopps e dois pastel” para se referir ao povo paulistano.