Levantamentos divulgados pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), o preços das passagens aéreas no acumulado dos últimos 12 meses, tiveram um aumento médio de 13%.

A notícia desapontou os consumidores que apostavam na nova lei das bagagens aéreas, que haveria uma queda nos preços das passagens.

Mesmo antes da divulgação da inflação sobre o preço das tarifas, passageiros, já relatavam os preços abusivos cobrados pelas companhias. Por outro lado, as empresas se defende, alegando que houve redução nos valores.

Entendam a lei das bagagens

A partir de julho de 2017, as companhias aéreas estão autorizadas a cobrar pela bagagem despachada e não serão mais obrigadas a oferecer a franquia de uma bagagem de 23 kg para voos nacionais e de dois volumes com até 32 kg para voos internacionais.

Dessa forma, as companhias poderão cobrar pelo serviço, com uma taxa extra, como se fosse a taxa de embarque. As empresas terão autonomia para definir como será feita a cobrança e se ela será realmente feita. fonte

A justificativa da ANAC para essa decisão é de realmente oportunizar que os valores das passagens sejam reduzidos e permitam o aumento da quantidade de brasileiros que utiliza os aviões para deslocamento com frequência.

A cobrança individual das bagagens era uma demanda que começou a ganhar força junto a parte dos viajantes. Isso porque, acreditavam ser injusto todas pagarem pelas bagagens, independente do peso transportado. Pois o preço estava embutido no valor final das tarifas.

Em dezembro de 2016, a ANAC,  aprovou uma regulamentação aprovando a cobrança individual pelo transporte das bagagens.

Entre os benefícios prometidos, estava uma compensação nos preços das tarifas, que ficariam mais baratas.
Em julho de 2017, quando essa regulamentação entrou em vigor, muitos passageiros relataram um aumento nos preços.

Como economizar com os gastos das tarifas aéreas

Mesmo com o aumento nos preços, ainda é possível economizar na compra das passagens aéreas. Segundo o site DescontoGo!, recomenda que o consumidor deve fazer uma boa pesquisa de preço, e com certa antecedência, antes de comprar.

Quanto mais próximo da viagem for feita as compras, menores serão as chances de economizar.
Outra dica, é pesquisar valores para diferentes datas de embarque, é possível economizar até 30% no valor final.

Dependendo do destino escolhido, alguns fatores podem interferir nos preços das tarifas como, alta temporada e o dia da semana para o embarque e desembarque. Sites comparadores de preços ainda é uma boa opção, entre eles estão a Decolar, Viajanet e Buscapé Viagens.