O que é cultura e o que é negócio? – Um debate sobre os direitos autorais

Hoje em dia, se discute muito os aspectos dos direitos autorais no segmento cultural. Alguns, defendem o direito do autor. Já outros, defendem que a cultura é livre, além disso, não pode ter um dono. Ou seja, se apropriar ou ganhar dinheiro, com um patrimônio público. De fato, a cultura é livre, mas, o que é cultura?

O que é cultura?

Segundo Edward B. Tylor, cultura é definido como “aquele todo complexo que inclui o conhecimento, as crenças, a arte, a moral, a lei, os costumes e todos os outros hábitos e aptidões adquiridos pelo homem como membro da sociedade”.

Ou seja, a cultura pertence a um povo, ela nasce coletivamente, e é difundida coletivamente. Pois, a cultura é o  conjunto de atividades, modos de agir, costumes e instruções de um povo. É o meio pelo qual o homem se adapta às condições de existência transformando a realidade. Nesse contexto a cultura é livre, pertence a todos e deve ser mantida e propagada por todos.

O que é negócio?

Mas, é quando a cultura é desenvolvida por um autor, que tem no seu oficio de desenvolvimento como o sustento de sua existência, nesse caso podemos dizer que a cultura é livre. Ou melhor, podemos dizer que, isso é cultura ou é simplesmente um ramo de negócio como outro qualquer?

Hoje em dia, a sociedade de consumo agrega um valor absurdo para um tênis, um celular de última geração, ou um aparelho eletrônico. Consumidores, chegam a pagar valores astronômicos por um bem de consumo. Mas,  acha um absurdo pagar um valor considerável por um bem cultura.

Aqui, definimos a cultura,  como um trabalho artístico, que exigiu tempo e dedicação do seu autor para a sua criação. Mas, no final, é exigido desse artista, uma visão de filantropia, ao ponto do mesmo, sentir-se constrangido em ganhar dinheiro com o seu talento.

Cultura: tudo junto, mas, não misturado

Devemos separar o que é entretenimento, do que é cultura como essência. É claro que,  a sociedade necessita de grandes debates sobre leis autorais, pois entre o autor e a sociedade existem uma indústria ditatorial que pensam única exclusivamente em concentrar poder, riqueza e lucrar em cima do autor. Ou seja, aqui aparece mais um personagem dentro desse conceito genérico de cultura. Estamos falando da industria de entretenimento, que muitas vezes é confundida com o autor cultural, que muitas vezes é confundida com a cultura de um povo.

Uma coisa é o autor compartilhar o seu conhecimento, outra coisa é o autor ter seu conhecimento compartilhado sem sua autorização, pelo simples fato de ser confundido com uma indústria e portanto ser colocado como inimigo de uma sociedade de consumo.

Se um autor não receber pólo seu trabalho, não tem como se sustentar, não tem como produzir e não terá o que compartilhar, a lei de direitos autorais precisa ser alterada, atualizadas, mas nem muito ao sul e nem muito ao norte.

A Cultura é Nossa

A “Cultura é Nossa”, é tema do documentário abaixo que de forma concisa e objetiva a  atual discussão em torno da reforma dos direitos autorais no Brasil.

O documentário faz parte de um projeto de TCC  do curso de Bacharel em Jornalismo pela Universidade Cruzeiro do Sul desenvolvido por: Ana Paula Viana, Cauê Lambert, Sirlene Farias e Ygor Pinheiro.

O documentário “A Cultura é Nossa” busca compreender e responder através de depoimentos, se o compartilhamento de bens culturais pode prejudicar os direitos do autor.

Por: Equipe de Redação 100 Artigos Contato
Artigos escritos pela equipe de redatores, colaboradores e escritores convidados.