O que leva as pessoas a se exporem nas redes sociais? Ligo meu celular, e do nada,  automaticamente começa a rodar o antivírus, entro no Youtube, vejo um podcast, ouço músicas, e me informo. No Whatsapp compartilhar pensamentos do dia, por fim, paro e respiro.

Tudo isso, antes do primeiro copo de café, preciso me conectar, postar e compartilhar. Tomo um comprimido para a dor de cabeça, consulto o saldo do banco, renovo meu seguro de vida, conto os dias para minhas férias, talvez uma viagem para Salvador ou quem sabe, nas ilhas Maldivas.

O que a postagens nas redes sociais revelam sobre minhas emoções

São tantas escolhas, pensamentos flutuantes, falta de concentração, que me fazem twittar algo a respeito. Então, escolho 140 caracteres que sintetizam meu dia e compartilho no Twitter.

Antes disso, passei por todas as redes, vejo meu Face, Zap, Telegram, e claro, continuo meu loop eterno nas playlist do Spotify.

Continuo escrevendo e descrevendo meu dia, e fico surpreso ao ser encontrado por um amigo dos tempos de adolescência, tudo isso porque participo de uma comunidade online.

A fome aperta, envio um zap enquanto preparo um Miojo. Recarregar a bateria do meu iPhone, ligo o som e a TV, tudo isso, para eliminar o silêncio existencial de ficar offline.

Por que as pessoas têm a necessidade de postar tudo? Com a bateria a 15%, já posso acessar meus e-mails, na verdade, sem nenhuma novidade. É somente pelo hábito de eliminar spam da minha caixa de e-mail. E, claro, atualmente o e-mail serve somente pra isso mesmo.

Por fim, entro novamente no no Twitter, compartilhando minhas idéias sobre o fim do e-mail, spam e bateria do celular quase no fim. Enquanto isso, o antivírus detecta  vários spammers e malwares, meu notebook entra em quarentena, tudo fica travado, aparece algumas mensagens de erro  e puff!!! Me vejo desconectado do mundo, e, com uma única vontade, a de escrever essa sensação ruim no Twitter, mas isso fica para outro dia, pois além de tudo, meu notebook smartphone ficou sem bateria! E, isso não é vida, definitivamente não é vida….