Como o WhatsApp explica a Obsolescência programada

WhatsApp deixa de funcionar em alguns celulares Android, iOS, WP, BB e Nokia

O WhatsApp é o aplicativo de mensagem mais utilizado no mundo, conectando pessoas nas mais diversas atividades humanas. Seja compartilhando vídeos, conversando com amigos, mandando nudes, ou mesmo como ferramenta de networking profissional.

Antes do WhatsApp, existiram outras ferramentas que cumpriam funções parecidas, mas que, ficaram ultrapassadas. Só para citar o MSN Mensseger e o ICQ.

Tornaram-se obsoletas, caíram em desuso pelo publico, que preferiram algo mais moderno e pratica. Talvez esse seja o grande trunfo do WhatsApp.

WhatsApp deixa de funcionar em alguns celulares Android, iOS, WP, BB e Nokia

A partir de 2016, algums modelos de celulares, não terão mais suporte para o uso do WhatsApp. Se, você tem um aparelho com Android: 2.2 Froyo, 2.1 Eclair e anteriores; iOS: 6, iPhone 3GS e anteriores ou Nokia: S40, Symbian S60 e anteriores, por exemplo. Todos eles, foram pegos pela lei da Obsolescência programada.

Mas o que venha a ser essa Obsolescência programada?

No mercado, existem produtos descartáveis, e outros de bens duráveis. Acontece que esse segundo grupo, dificilmente terá toda a sua vida útil, sendo algo funcional. Caso contrário, toda uma indústria deixaria de produzir, vender etc.

Para resolver esse dilema da vida moderna, a industria de produção, seja de bens ou serviços, criaram um conceito chamado de obsolescência programada.

Resumindo de uma maneira simples: “..é a decisão do produtor de propositadamente desenvolver, fabricar, distribuir e vender um produto para consumo de forma que se torne obsoleto ou não-funcional especificamente para forçar o consumidor a comprar a nova geração do produto.”

Mas o WhatsApp se tornou obsoleto?

A resposta é não. Para não cometer o mesmo erro dos citados MSN Mensseger e o ICQ, a empresa simplesmente inverteu a ordem das coisas.

Por ser um aplicativo dominante, ele desenvolve tecnologias e funcionalidades, nas quais se mantem atual.

Por outro lado, trás consigo toda uma industria de novos modelos de celulares, que viram seus antigos aparelhos entrarem para o hall da obsolescência. E, assim, forçam os consumidores a comprarem a nova geração do produto.