É melhor fazer faculdade ou curso técnico: afinal, qual é a diferença?

Afinal, é melhor fazer faculdade ou curso técnico? Sabemos que, escolher uma carreira profissional que vale a pena não é uma decisão muito fácil, principalmente para os mais jovens.

A escolha de uma profissão, precisa considerar, muitos fatores. Entre eles, as afinidades, gostos pessoais, mercado de trabalho, etc. Nesse contexto, provavelmente fazer um curso técnico pode ser uma boa opção.

O que vale mais a pena fazer, curso técnico ou faculdade?

Conheça as vantagens do ensino profissionalizante para concorrer às melhores vagas no mercado de trabalho.

Oportunidades de empregos, salários e tempo de conclusão, estão entre as vantagens de fazer um curso técnico profissionalizante, saiba mais.

Apesar de ser uma modalidade de aprendizagem mais em conta no âmbito financeiro, bem como, no tempo de conclusão do curso, muitas pessoas se perguntam se vale a pena fazer um curso técnico?

Qual é a diferença de um curso técnico e faculdade?

O curso técnico, é uma formação profissionalizante de nível médio. Somente podem ser oferecidos os cursos regulamentados pelo MEC – Ministério da Educação. Além disso, é preciso cumprir uma carga horária mínima determinada.

O curso técnico procura, desenvolver e capacitar o aluno através de conhecimentos teóricos e práticos a operacionalizar determinada atividade na área escolhida. Ou seja, o curso técnico forma trabalhadores qualificados e adequada às exigências do mundo profissional.

Para quem busca essa modalidade de ensino, tem como vantagem a rápida inserção no mercado de trabalho. Isso se deve a demanda por profissionais qualificados, bem como o tempo de conclusão do curso.

Qual a validade? O diploma de conclusão do curso técnico tem validade nacional e é assegurado àqueles que realizarem a conclusão do curso técnico.

O que vale mais a pena fazer, curso técnico ou faculdade?
O que vale mais a pena fazer, curso técnico ou faculdade? Imagem:Pixabay

Quem pode fazer um curso de nível técnico?

O curso técnico é direcionado àquelas pessoas que vão cursar ou já cursaram o ensino médio. Porém, para obter o certificado de conclusão do curso técnico, é necessário a conclusão do ensino médio.

Outra opção, fica por conta dos cursos concomitantes, que são aqueles oferecidos, integrado ao ensino médio. Como vantagem, está a possibilidade de fazer os dois em simultâneo.

Qual idade mínima para cursar?

A idade mínima exigida nos cursos pode variar entre instituições, bem como a área desejada. Há escolas que exigem idade mínima de 16 anos, em outras é preciso ser maior de 17 anos. Além disso, há também instituições onde é necessário ser maior de 18 anos. Em todos os casos. Já, a formação integrada ao ensino médio, é exigida outros requisitos.

Quais as vantagens de fazer um curso profissionalizante?

Curso Técnico pode ser a primeira porta para entrar no mercado de trabalho: O tempo de formação é outro fator que demonstra o quanto pode valer a pena fazer um curso técnico.

Enquanto, a graduação, pode exigir um tempo de até 4 anos para a conclusão, os cursos de nível profissionalizante, podem ser concluídos em menos de 2 anos.

Além disso, o tempo para conseguir o primeiro emprego, pode ser menor para profissionais com qualificação de nível técnico.

A empregabilidade é fundamental para quem busca ter estabilidade financeira. Ou seja, com a formação técnica o profissional pode planejar o crescimento profissional e pensar até em fazer um curso de graduação no futuro.

Faculdade ou curso técnico: qual opção devo escolher?

Os investimentos para concluir uma graduação, são maiores que um curso de nível profissionalizante. Por outro lado, há uma crença, que pessoas com formação superior ganham os maiores salários.

Isso pode até ser verdade, mas, o número de oportunidades de emprego em cargos de gestão, ou que exigem a formação superior, é menor que, as vagas de empregos operacionais que exigem apenas a formação técnica.

Mas, em algumas áreas, profissionais com nível técnico, como em tecnologia e redes, alguns profissionais ganham até 9 mil reais. Os valores também são influenciados por demandas regionais.

Um exemplo, região com forte investimento em agronegócio, necessitam de profissionais mais qualificados, portanto, podem pagar salários maiores.

Já, em regiões com oferta maior de profissionais em relação às ofertas de emprego, tende a pagar os menores salários, ficando mesmo no piso salarial.

Esse pode ser o caso dos profissionais formados em técnico em enfermagem na cidade de São Paulo. Portanto, os cursos técnicos com os maiores salários dependem da demanda por esse profissional, bem como a complexidade da área.

Faculdade ou curso técnico: qual opção devo escolher?
Afinal, é melhor fazer faculdade ou curso técnico? Imagem:Pixabay

Os cursos técnicos possibilitam a entrada mais rápida no mercado de trabalho.

O SENAC – Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial, foi criado em 10 de janeiro de 1946 através do decreto-lei 8.621. Já o SENAI – Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial, foi criado em 22 de janeiro de 1942, pelo decreto-lei 4.048.

Porque estou trazendo essas informações? Por se tratar de duas importantes instituições criadas para o desenvolvimento da qualificação profissional do país.

Em breve uma dessas instituições completará seus 80 anos. Nessas quase oito décadas do surgimento de cursos profissionalizantes, o país passou por grandes transformações, tanto sociais, quanto econômicas.

Apesar disso, ainda é um déficit de trabalhadores qualificados, tanto na área de comércio e serviço, quanto na área da indústria e tecnologia. Aqui, por si só, já podemos responder. Sim, ainda vale a pena fazer um curso técnico.

Mas, não é somente isso, que fará uma pessoa escolher entre fazer um curso técnico, ou optar por uma graduação.  É claro que, há uma diferença enorme entre uma modalidade de ensino e outra.

É claro que algumas profissões pagam mais que outras, e isso depende da demanda econômica, número de profissionais disponíveis no mercado e nível de conhecimento envolvido para exercer a profissão.

Além disso, existem outros fatores que devem ser considerados, como na hora de escolher um curso. Sobretudo, questões como a demanda de sua região por um profissional.

Ou seja, não adianta escolher fazer um curso para área naval, se em sua cidade ou estado, não há empregos nessa profissão.