Nos Bares e Catedrais da Vida

Nos bares e catedrais existem pessoas preocupadas em não esvaziar os cálices de vinho tinto e com a camada de ozônio purificada em uma geladeira cheia de cerveja gelada.

Nos bares e catedrais existem pessoas preocupadas em manter pessoas ao seu lado, seguindo o seu dogma, certo ou errado, apenas acompanhados.

Nos bares e catedrais os sinos tocam uma velha canção, mistura de tristeza e melancolia velando pensamentos evasivos.

Nos bares e catedrais o futuro de um vilarejo é decidido, no conchavo ilícito e mais doses de vinho para comemorar o futuro!

Nos bares e catedrais artistas sonhadores e poetas perdedores que escrevem seus pensamentos como folhetins de novela das nove.

Nos bares e catedrais músicos, cantores e pastores exigem sues espaços, sua voz como água infiltrada na parede velha e mofa de uma catedral qualquer, onde bêbados, moribundos e mendigos erguem suas mãos, seja para uma prece, um socorro ou migalhas de moedas transformadas em ouro, prata e vaidade de quem está acima da linha permissiva da maldade humana, mas quem decide isso, não estão nos bares, apenas nas catedrais!

Enquanto crianças brincam, nos parques da cidade, velhinhos pagam seus pecados, maltratados em um asilo!

Crianças vão crescer…crianças vão errar…..enquanto envelhecem em um asilo chamado mundo!